Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Primeiro dia em Bangcoc

Passamos no Bangcoc Bank para trocar nossos dólares por Baht. Os bancos abrem das 8h30 às 15h30 e caminhamos em direção à estação de metrô Asok, a mais próxima do hotel.

O metrô tem três linhas: vermelha, azul (que era a nossa estação – Asok) e amarela que se completam com as linhas de trem (BTS Skytrain) – Sukhumvit line (verde claro) e Silom line (verde escuro) e se conectam com as estações de ônibus. Para quem vai ficar mais tempo na cidade, há os cartões mensais com preços mais reduzidos. Crianças e estudantes locais pagam menos. O preço varia conforme a distância percorrida. Cada estação tem uma numeração. Nas máquinas que vendem os tíquetes, você digita o seu trajeto (informando os números), e elas automaticamente fornecem o valor final da sua viagem. Prático e interessante.

Pegamos o metrô (linha azul) e descemos na estação Hua Lamphong. De lá, pegamos um tuk- tuk até o River View Travel para visitar o Grand Palace. Há 3 opções desse passeio que sai de alguns pontos à beira do rio Mae Nam Chao Phraya (Me ou Mae significa "Mãe", Nam é "Água", e o nome Chao Phraya é um título de nobreza feudal Tai, que pode ser entendido como “Senhor” ou “General”), que atravessa Bangcoc. Os trajetos são de 1h, 1h30 e 2h e custam, respectivamente, 1.000, 1.300 e 1.500 Baht (33, 42 e 49 dólares) e percorrem o rio e os canais passando pelo Royal Barges Museum, Thonburi Floating Market, Wat Arun (templo) e desembarcando um grande mercado a céu aberto com comidas típicas. Um dos passeios mais caros dá a opção de ir também ao snake farm (onde se criam cobras e seu cuidador faz shows exibicionistas com elas), mas este lugar não é indicado por ninguém devido às péssimas condições do local e dos animais (há inúmeros relatos na internet). Nós não fomos. CUIDADO: antes de pagar pelo passeio de barco, pechinche ou vá a mais de um ponto de embarque. Eles costumam dobrar o valor quando se trata de turista.



O Royal Barges Museum guarda as barcaças que eram usadas ​​diariamente pela família real; hoje apenas utilizadas em grandes cerimônias e datas especiais. São barcos finos, compridos e de cauda longa, e muito ornamentados com simbolismo religioso. O maior tem mais de 45 m de comprimento e requer uma equipe de remo de 50 homens. Trata-se da Suphannahong (Golden Swan), barcaça pessoal do rei. Na broa, há uma enorme cabeça de cisne esculpida. As mais recentes apresentam arcos esculpidos em outras formas mitológicas hindus e budistas, como a naga de sete cabeças (dragão do mar) e Garuda (grande pássaro).


Só o Wat Arun já valeria o passeio. Localizado no distrito Thonburi (de frente para o Tha Thien Píer), é o que mais chama a atenção às margens do rio Chao Phraya. Também é conhecido como Wat Chaeng – o Templo da Madrugada ou Templo do Amanhecer –, já que o rei Taksin, depois de lutar para defender o reino de Ayutthaya, teria chegado a esse templo ao nascer do dia.

O templo realmente impressiona pela beleza da arquitetura, com riqueza de detalhes e cor colorida. O pináculo (Prang) de Wat Arun, um dos marcos históricos e mundialmente conhecidos, tem uma imponente torre de mais de 70 metros de altura que é decorada com pequenos pedaços de vidro colorido e porcelana chinesa colocados em padrões intrincados. A torre fica ainda mais bela à noite, quando iluminada. Aberto das 8h às 17h30.

Retornamos ao barco para atravessar o rio e desembarcarmos no mercado de peixes e comidas. Os pilotos dos barcos trazem pacotes com pedaços de pães para que os turistas deem aos peixes. No mercado, frutas (muito coco e manga) e arroz crocante (rice cracker) há 20 Baht/U$ 0,65 e pratos típicos tailandeses que variam de 50 a 100 Baht (U$ 1,60 a U$ 3,25), servidos em tigelas.


Dali, partimos de tuk-tuk para o distrito Ko Ratanakosin, que abriga muitos locais históricos e sagrados. Um deles é o Grand Palace. Na verdade, você paga um ingresso de 350 Baht ou U$ 10 para ver um complexo de prédios adjacentes um ao outro. Além do Grand Palace (em estilo mais europeu), que é atualmente usado somente para cerimônias ocasionais (o rei vive no Chitralada Palace, mas é fechado aos turistas), pode-se visitar o Wat Phra Kaew (ou Templo do Buda Esmeralda), tempo com adornos tipicamente tailandeses com telhado colorido e detalhes em dourado, o Boromabiman Hall, construído pelo rei Rama VI, a Amarinda Hall, a residência original do Rei Rama I e o Palácio da Justiça (onde ocorrem cerimônias e coroações), que contém o trono antigo, o Grand Palácio Municipal / Maha Chakri Prasat, que não tem sido usado como residência desde a morte misteriosa do Rei Rama VIII (irmão mais velho do rei atual), encontrado morto em seu quarto em 1946.

Em frente ao Grand Palace há uma grande área verde. Trata-se do Sanam Luang (ou Royal Ground/Chão Real), um campo e uma praça pública de cerca de 30 hectares. O local já foi um campo de arroz; hoje é usado para cerimônias reais.


Outro complexo a poucos metros (também incluído no tíquete do Grand Palace) é o impressionante Dusit Palace Park. Sua arquitetura é um exemplo da época vitoriana. É composto pela Assembleia Nacional (Prédio do Parlamento tailandês), The Ananta Samakhom Throne Hall (mais belo por dentro, foi encomendado pelo Rei Rama V para ser uma sala de recepção e sala do trono; concluído em 1915), Vimanmek Mansion (hoje um museu) e o Museu Nacional Royal Elephant.


O destaque fica mesmo por conta do Vimanmek Teak Mansion, inaugurado em 1905 pelo rei Rama V. Serviu de palácio real por apenas 5 anos, depois transformou-se em um local de armazenamento da realeza. Em 1982, a rainha Sirikit pediu permissão do rei Rama IX para renovar o local. Hoje, é um museu em homenagem ao seu rei criador, com informações sobre a restauração do palácio, fotos, obras de ate e artesanato do rei, imagens de modelos de templos tailandeses e de budas, enfim, um belo patrimônio nacional. É a maior mansão de madeira de teca (famosa pela qualidade e rusticidade; o preço do seu metro cúbico é mais caro que o do mogno) do mundo. O único inconveniente é que as legendas estão em tailandês. Então, é preciso pagar o áudio-guia à parte: 200 Baht/ U$ 7. 

Para visitar esses dois complexos, é preciso chegar cedo. Há longas filas e os horários de funcionamento são curtos. O Wat Phra Kaew/Grand Palace fica aberto das 8h30 às 15h30; o Dusit Palace/Vimanmek Mansion, das 9h30 às 16h. O acesso é fácil. Os ônibus 503 e 508 param em frente ao Grand Palace e os ônibus 70 e 510 em frente ao Dusit Palace.

ATENÇÃO: mulheres não podem entrar de short, bermuda ou saias curtas e os homens não podem usar camisetas regata ou bermudas.

0 comentários:

Postar um comentário

Visitantes (últimos 7 dias)

Visite Blog RotaCinema

  • As Duas Irenes - *País*: Brasil *Ano*: 2016 *Gênero*: Drama *Duração*: 89 min *Direção*: Fábio Meira *Elenco*: Priscila Bittencourt, Isabela Torres e Marco Ricca. *Sinopse...
    Há uma semana

Postagens populares

Tags

Reino da Tailândia, Thailandia, Sião, Taylandia, sudeste asiático, o melhor da ásia, dicas de viagem, blog simone, viagem barata, Simone Rodrigues Soares.

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP